Produtividade

A Cafeína é o Seu Amigo da Produtividade?

Um ano atrás, logo antes de meu filho ir para a faculdade, ele tatuou um pr’ankh, um hieróglifo egípcio que significa “a casa da vida”. Como ator e dançarino por toda sua vida, ele proclamou seu corpo como “a casa de sua vida” e prometeu cuidar dele pelo resto dos seus dias. Entre outras promessas relacionadas a saúde, ele jurou parar de beber café e todos os produtos cafeinados. Porém, quando voltou para casa de férias, a caneca de café estava relutantemente de volta em sua mão. O que aconteceu? Ele não se tornou menos dedicado a se cuidar de seu corpo, ele não parou suas rotinas extensas de dança e exercícios, e ele não quebrou nenhum dos seus outros votos. Ele nem mudou sua opinião sobre a cafeína. Então por que abriu a porta novamente para o café?
O caso de amor global com a cafeína.

Muitos de nós temos a mesma experiência. De acordo com a AARP, 90% de todos os adultos consumem cafeína diariamente. Parece que a atração do café é mais forte do que a própria bebida. Está incutido em todos nós, em quase todas as culturas na terra, que o café nos torna mais produtivos. Mas será que torna mesmo? Apesar de vários artigos mostrando as virtudes da cafeína e diversas pesquisas sobre isso, nenhuma prova liga diretamente a cafeína à produtividade. Mas, existem várias provas científicas de que a cafeína dá a você uma sacudida de energia e ajuda a acordá-lo de manhã. Ela te ajuda a ficar mais alerta, certamente. Ajuda a aumentar o seu foco, aumenta a sua pressão sanguínea e batimentos do coração, e até faz você se sentir bem. Mas se você deseja ser mais produtivo, não há uma super-bebida que vai fazer isso por você. Resumindo, “alerta” não necessariamente significa “produtivo”.

Recentemente, nós falamos com o especialista em produtividade Tiago Forte, que mencionou sua própria excursão para longe da cafeína e retorno subsequente. Ele percebeu que não era o café em si, mas as outras necessidades que o café satisfazia que o traziam de volta. O café dá uma desculpa para fazer um intervalo muito necessário no trabalho. Ele fornece uma saída social, especialmente se você trabalha sozinho. Em muitos escritórios, sair para tomar café é considerado um motivo aceitável para sair do trabalho, e muitos de nós consideram o cafezinho da esquina mais perto como nossa sala de reuniões longe do escritório. Ele nos dá um lugar para encontrar amigos e ficar por lá. Ele se tornou o modo padrão para socialização durante o dia. Tiago diz para encontrar outras saídas para estas necessidades e o café em si vai se tornar irrelevante.

Cafeína e você: o amor é realmente mútuo?

Mas, gostamos do efeito da cafeína, especialmente de manhã. E não gostamos da dor de cabeça que vem quando não tomamos. Pensamos que é um vício benigno e, as pesquisas mostram, que levaria mais do que oito copos de café por dia, ou mais do que 400mg de cafeína antes de sofrermos quaisquer efeitos negativos. Então se ela nos dá energia renovada, não é carregada de calorias (até adicionarmos açúcar, leite, xaropes e chantilly), produz uma noção de bem estar, e gostamos do gosto, há efeitos negativos?

Um estudo de 12 anos, conduzido pela Sociedade Europeia de Cardiologia (ESC) jogou um balde de água fria na festa. Eles concluíram em 2015 que o uso pesado de produtos cafeinados, especialmente o café, por jovens que já tinham predisposição a uma hipertensão leve, aumentava o risco de infarto em quatro vezes. Até o uso moderado, que categorizaram como de um a três copos de café por dia, aumentava o risco em três vezes. Através do uso de testes genéticos, a ESC conseguiu determinar mais. Se um adulto tinha hipertensão leve e uma predisposição genética a metabolizar cafeína lentamente, o risco de pré-diabetes é maior ainda. Então se sua pressão sanguínea já é alta, talvez você queira procurar por um método não-estimulante de encontrar a energia interna.
Na Austrália, a Universidade de Sidney produziu um estudo parecido que acompanhou quase 5000 pessoas em 1985 e descobriu aumentos significativos na indigestão tanto de homens quanto mulheres que consumiram apenas 240 mg de cafeína, o que é igual a quatro ou cinco copos de café ou chá por dia. Porém, com o advento de outros produtos cheios de cafeína como refrigerantes e energéticos, a questão permanece se é a cafeína em si que causa a indigestão ou a alta acidez do café em si. Afinal de contas, o seu benefício principal é nos manter alertas.

Foco vs. criatividade: qual é melhor com a cafeína?

Outro caso para ser considerado: uma grande proporção dos medicamentos para controlar os sintomas da TDAH são estimulantes que trabalham exatamente da mesma maneira que a cafeína. Por quê? Porque estes medicamentos, em dosagens supervisadas medicamente, ajudam aqueles que tem o TDAH a focarem melhor. A cafeína tem o mesmo efeito no resto da população. E apesar do foco aumentado nos ajudar a realizar mais, um estudo feito pelo Centro Nacional para Informações de Biotecnologia (NCBI) produziu uma conclusão inesperada: o foco mais intenso pode ser prejudicial para a criatividade. Em outras palavras, quando estamos hiperfocados, perdemos a capacidade de fazer conexões criativas que fazemos facilmente quando nossas mentes recebem a permissão para divagar.

E isso nos traz de volta à pergunta original: o que a cafeína realmente faz para nós em termos de produtividade? E a resposta, parece ser: depende. Se você define produtividade como produção quantitativa, e você sabe que a cafeína lhe dá aquele chute necessário para realizar as coisas, é a sua melhor amiga. Se sua produtividade é baseada no quanto você é criativo, então talvez ela faça você se sentir apenas mais alerta. Porém, a química alterada do seu cérebro vai dificultar o acesso à sua imaginação fértil.

No caso do meu filho, foi uma combinação das observações de Tiago Forte sobre os aspectos sociais do café e uma necessidade de permanecer alerta em aulas longas que o trouxeram de volta. Mas como ele também é criativo, se afasta da cafeína durante suas aulas de performance. A pesquisa valida suas inclinações naturais, mas uma coisa é certa: não existe uma química que consiga “fazer” com que você seja produtivo. A cafeína o ajuda a ficar acordado e focado. O que você faz com isso é da sua conta.

Faça um upgrade nas suas notas com o Evernote Premium.

Seja Premium