Usando o Evernote

Sistemas de anotação para estudantes

Não importa qual seja sua profissão ou seus objetivos, interpretar e capturar informações é mais desafiador do que parece: e os estudantes passam por isso todos os dias. Pesquisas mostram que para superar a sobrecarga de informações é preciso ter organização.

Para os estudantes, essa tarefa se inicia com um sistema para organizar suas anotações. O modo como os estudantes organizam essas notas pode ter um impacto enorme sobre a capacidade de lembrar delas mais tarde.

Talvez seja por isso que alguns dos professores das melhores faculdades do mundo desenvolveram seus sistemas de anotação para ajudar os alunos a organizar suas informações de maneira mais eficiente.

Exemplos disso são os livros resumo (de Harvard e Oxford no século XIX) e o sistema Cornell (criado na década de 60 em Nova York): as melhores práticas para anotação se tornaram um componente crítico da educação.

Hoje, instituições acadêmicas como o Instituto Politécnico da Califórnia e a Universidade de Stanford ainda valorizam muito ensinar os alunos sobre a metodologia de anotação. Mas, a maior parte destas abordagens são voltadas para o tradicional esquema lápis e papel.

Muitas universidades ainda direcionam os alunos para recursos online que oferecem ajuda desenvolvida para o anotador em lápis. Isso é a prova da perseverança da tradição, mas também é um indicativo de uma necessidade de empoderar os alunos para usar a tecnologia para capturar e estudar notas.

Como Aprendemos a Lembrar

Como alunos, aprendemos através da exposição à informação. Mantemos um registro dessa informação, e, após exposições repetidas àquela informação, podemos lembrar dela mais tarde durante provas, questionários e testes. Hoje em dia, o uso de smartphones e tablets para anotação podem melhorar bastante o processo de aprendizagem:

  • Capture e grave somente as informações que você não conhece;
  • Identifique os materiais mais importantes;
  • Lembre-se das informações ao definir uma hora para revê-la mais tarde;
  • Relembre-se das informações quando for necessário (pesquisa, conectar ideias à escrita, provas).

Psicólogos dizem que para relembrar informações e construir conhecimento, é essencial compreender três estágios distintos da memória. É Interessante como eles espelham as fases de anotação:

  1. Decodificação (escrever notas, capturar informações, capturar áudio, fotos);
  2. Armazenamento (caderno físico, papel e caneta, ou um sistema digital como o Evernote);
  3. Recuperação (revisitar e ler suas notas e as informações que você capturou).

Para os estudantes, é um sistema atemporal: capturar o conhecimento e depois encontrar um sistema para reter o conhecimento para que ele possa ser aplicado de maneira útil em momentos que testam suas habilidades mais tarde—provas, questionários e testes.

Escolha Seu Estilo de Notas

A anotação é algo profundamente pessoal. O modo como você implementa um método em especial reflete não apenas seus hábitos produtivos, como também a forma como você pensa e o seu fluxo de trabalho criativo.

Para alguns, organizar informações em formatos de níveis e listas é a chave para o sucesso. Para outros, são sistemas visuais que as ajudam a enxergar a informação de um novo jeito.

Não importa qual seja o seu sistema, o desafio é universal: como analisamos o barulho, filtramos informações e decidimos o que é importante?

Apesar de o processo parecer complicado, há dois sistemas de classificação primários de anotação: linear e não linear. O método que você usa depende de escolha pessoal, o ambiente de classe que você está e a forma como seu cérebro trabalha. Estas são as abordagens mais comuns – e todas são fáceis de implementar no Evernote.

O MÉTODO DE LINHAS GERAIS

Originado no século XVI, o método de linhas gerais é um estilo clássico de anotação no qual você captura as informações usando numerais romanos e arábicos.

Sua durabilidade é parte do seu legado – ele funciona no papel, mas também é fácil de adaptar e implementar digitalmente.

Com um modelo linear, você também pode usar marcadores ou outros caracteres e símbolos. Esta tática de anotação funciona em quase qualquer configuração de classe, e ajuda-o a gravar seu conteúdo rapidamente.

Além de capturar pontos chave, ele também te ajuda a catalogar e lembrar o que os subtópicos tem a ver com os conceitos maiores. Como este estilo de anotação busca capturar as partes importantes de uma aula, é fácil transformar suas notas em questões que você possa usar mais tarde para estudar para provas.

O MÉTODO CORNELL

Originalmente inventado nos anos 50 na universidade que carrega o seu nome, o Cornell é considerado por muitos como o conversível de sistemas de anotação.

Dividido em três seções distintas, o sistema permite que você capture e recupere informações em um único lugar. Com esse método você pode transformar conceitos macro em palestras e aprender a partir disso.

O sistema é perfeito para estudantes de ensino médio ou superior, especialmente quando precisam fazer apresentações. E também funciona bem para advogados e qualquer profissional que trabalhe com aprendizagem. Veja como funciona:

  1. Gravar: Durante uma aula, use a coluna de anotação na esquerda para gravar a aula usando frases.
  2. Questionar: Formule questões na coluna da direita baseado nas suas notas de aula, logo após o término da aula (enquanto elas ainda estiverem frescas na sua cabeça). Escrever questões ajuda a esclarecer significados, estabelecer continuidade e associações e fortalecer a memória. Anotar questões também prepara o caminho para estudar para provas mais tarde.
  3. Recitar: Cubra a coluna de anotação com uma folha de papel. Depois, olhando para as questões ou somente para as palavras-chave na coluna da direita, diga em voz alta, nas suas próprias palavras, as respostas para as questões, fatos, ou ideias indicadas pelas palavras-chave.
  4. Refletir: Reflita sobre o material fazendo questões para si mesmo, por exemplo: “Qual é o significado destes fatos? Sobre qual princípio eles estão baseados? Como posso aplicá-los? Como eles se encaixam naquilo que já conheço? O que está além deles?
  5. Rever: Gaste pelo menos dez minutos cada semana revisando todas as suas notas anteriores. Se você fizer isso, guardará muita informação para a prova.

Mais dicas para fazer grandes notas

Aqui estão algumas maneiras adicionais para levar suas notas a um nível superior.

  • Faça perguntas.
  • Pense sobre o material que você está lendo.
  • Cite fontes. Muitas aulas precisam de bibliografias anotadas, então você economizará tempo se capturar as fontes que você estuda.
  • Use o Amazon Kindle. Capture e salve suas notas e marcações do Kindle no Evernote em três passos simples.
  • Use o Blinkist. Ele faz a curadoria dos melhores livros de negócios do mundo e destila-os em sumários de 15 minutos de fácil leitura oferecidos tanto nos formatos de texto como de áudio em um aplicativo móvel para smartphones, tablets, e qualquer navegador da internet. Como você pode salvar marcações no Blinkist, elas são automaticamente sincronizadas no Evernote—que são de fácil descoberta e pesquisa sempre que você precisar acessá-las.
  • Use o Instapaper. Com um único clique, você pode salvar artigos que está lendo na Web. Você pode salvar tudo aquilo que você ler no iOS, Android, e Kindle. Salve suas notas, comentários, ou marcações diretamente no Evernote com essa receita IFTTT.

É incrível como o legado de anotação evoluiu e persistiu. Passando por séculos, os conceitos permaneceram os mesmos. As notas nos ajudam a separar aquilo que é importante de todo o resto para que possamos aprender de maneira mais eficiente. Como você organiza seu sistema de anotação?

Faça um upgrade nas suas notas com o Evernote Premium.

Seja Premium